sociedade

os jovens de hoje em dia não são mais como antigamente?

Todo mundo acha que a próxima geração está perdida… De uns tempos pra cá, se fez muita confusão na esfera pública sobre gênero, orientação sexual, identidades. É compreensível que a gente não entenda uma série de mudanças que parecem acontecer com o mundo. As coisas não são mais como antigamente, não é? As roupas não são as mesmas, nem os carros. A comunicação é instantânea, quando antes levava horas, dias, meses.

Continuar lendo

Conflitos de valores

Quando falamos em sexualidade, as pessoas costumam atribuir a ela diversos valores, frequentemente negativos. Pensem em todas as palavras usadas para ofender uma mulher: verão logo que quase todas tratam da sua sexualidade, e desta sexualidade como negativa, muitas vezes negativa simplesmente pelo fato de existir ou ser expressa. Já para ofender aos homens, se costuma caracterizar sua sexualidade como inferior, insuficiente, inadequada, ou ainda, atacar a sexualidade de uma mulher associada a este homem, como sua mãe ou esposa.

Continuar lendo

Diferenças

quais as diferenças entre homens e mulheres que realmente importam? Nas semanas passadas vim falando de como educação sexual pode ser importante para as pessoas enquanto indivíduos, principalmente em relação aos outros, sejam filhos, pais, amigos, como lidamos com a sexualidade dos outros. Hoje vamos falar de como lidar com a sexualidade dos nossos parceiros, e começamos com o público heterossexual, com as diferenças entre homens e mulheres, e dos problemas que surgem disto.

Continuar lendo

Mas eu sou normal!

Anormais são os outros! Na coluna passada falamos de como todos temos nossas peculiaridades, nossas características únicas, e que normalidade não é uma coisa nem boa nem ruim, só mais comum. Infelizmente tendemos a ter o péssimo habito de normalizar ou valorizar as nossas peculiaridades, enquanto achamos aquelas dos outros prejudiciais, estranhas, ruins, negativas, primitivas, não naturais, e toda sorte de outras qualidades duvidosas. Orientação sexual é uma destas coisas onde há uma orientação “normal”, no sentido de mais comum, e outras menos frequentes.

Continuar lendo

Sair do Armário

Parafraseando Nelson Rodrigues, olhando de perto ninguém é normal. No consultório volta ou outra vêm o questionamento, a dúvida, será que sou normal? Essa questão passa por todos os aspectos: os sentimentos, os comportamentos, as emoções, os desejos, a sexualidade. Acho nesse momento importante lembrar de onde vem este conceito, da normalidade. Normalidade no conceito do dia a dia tem alguma relação com o conceito em estatística. De uma maneira bem simples, normal é aquilo que cai mais ou menos próximo da média de ocorrência geral.

Continuar lendo